Publicado em Deixe um comentário

Museu de artes digitais: inovação que impressiona!

O museu de artes digitais foi construído para quebrar fronteiras, além disso aguçar a imaginação dos envolvidos.

No entanto, a ideia da inovação está presente em todas os setores da sociedade.

Portanto, esse texto mostrará um pouco sobre o primeiro museu de artes digitais do mundo, inaugurado no Japão.

museu de artes digitais

Onde fica o museu de artes digitais?

Em primeiro lugar, o museu de artes digitais está localizado em Odaiba, um dos distritos de Tóquio.

Portanto, cerca de 12km do aeroporto internacional de Tóquio.

Consequentemente é muito rápido e fácil de chegar até o local com o transporte público ou até mesmo de táxi.

Além disso, a área total do museu é cerca de 10 mil metros quadrados, divididas em seções.

Quando foi inaugurado o museu de artes digitais?

Em segundo lugar, o museu foi inaugurado em 2018 e atraiu muitos visitantes já nos primeiros dias de abertura.

Como resultado de uma parceria com a Mori Museum, foi fundado com o nome de Epson TeamLab Borderless, em 21 de Junho de 2018.

Além disso foram necessários 520 computadores e 470 projetores.

Depois disso, já foram feitas diversas manutenções no museu para que estejam sempre em sintonia com o público visitante e proporcionem interatividades distintas em cada visita.

museu de artes digitais

O que você vai encontrar no museu de artes digitais?

O museu de artes digitais conta com mais de 50 instalações para incentivar o público visitante a interagir com as obras de arte.

Todos os trabalhos são exclusivos e dependem da ação do público.

Portanto, cada vez que uma pessoa visitar o museu terá uma experiência única. Ou seja, os trabalhos se alteram regularmente.

Para esclarecer, a principal ideia do museu é criar um local de impacto, onde não há limitantes de uma obra a outra.

Por exemplo, existem algumas obras de arte presentes no museu que estendem-se pelos corredores e teto, sobrepondo-se a outras instalações.

Acima de tudo, as mais de 50 obras colocadas no museu são inéditas.

Durante a visita, é possível observar que as obras ficam em seções que oferecem universos digitais distintos.

Por exemplo, você pode degustar um chá verde enquanto aprecia uma obra de arte entre lamparinas nos campos de arroz.

As seções são as seguintes:

  • Em primeiro lugar temos o “Mundo sem Fronteiras”: paisagens com cachoeiras, florestas e pássaros.
  • Em segundo lugar, a “Floresta Atletismo”: área para estimular os visitantes a se exercitarem. Por exemplo, é possível escalar uma ponte virtual.
  • Na sequência, o “Parque Futuro”: uma área com um aquário enorme e cheio de espécies de peixes.
  • Em seguido, a “Floresta de Lâmpadas”: setor com várias lâmpadas em diferentes cores.
  • Por fim, a “Casa de Chá”: é nesse local que você pode degustar um chá verde virtual.

Portanto, esses são os cinco setores que fazem parte do museu em toda a sua extensão de aproximadamente 10 mil metros quadrados.

museu de artes digitais

Conclusão

Resumindo, para quem gostar de artes digitais essa á a principal atração no mundo.

Por outro lado, existem alguns museus no Brasil que proporcionam algumas experiências digitais aos seus visitantes, mas não pode ser incluído como um museu de artes digitais apenas.

Quer saber mais sobre as artes digitais, consulte nosso site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *